Lewis Hamilton observa o teste do Mercedes-AMG Project ONE no túnel de vento.
Infelizmente, o vídeo desejado não está disponível no momento. Tente novamente mais tarde.
Reproduzir de novo

Mercedes-AMG Project ONE: tecnologia de Fórmula 1 para as ruas.

Mercedes-AMG Project ONE: tecnologia de Fórmula 1 para as ruas.

Estreia mundial no Salão do Automóvel de Frankfurt.

Estreia mundial no Salão do Automóvel de Frankfurt.

O Mercedes-AMG Project ONE teve lançamento mundial na exposição do Salão do Automóvel de Frankfurt, marcando o ponto alto do aniversário de 50 anos da AMG. O show car, um superesportivo de dois lugares, traz pela primeira vez para as ruas a mais moderna e eficiente tecnologia híbrida da Fórmula 1, praticamente igual à das pistas de corrida. Espera-se que o híbrido de alto desempenho atinja mais de 1.000 cv e sua velocidade máxima supere 350 km/h. Ele é único no mundo.

Um motor turbo e quatro motores elétricos.

Vista aérea do Mercedes-AMG Project ONE.
Vista aérea do Mercedes-AMG Project ONE com carroceria aberta.

Um motor turbo e quatro motores elétricos.

A propulsão híbrida plug-in de alto desempenho do Mercedes-AMG Project ONE tem origem na Fórmula 1 e foi desenvolvida em cooperação estreita com especialistas em automobilismo da High Performance Powertrains, unidade da Mercedes-AMG em Brixworth, Inglaterra. Ela consiste em uma unidade inteligente que integra um motor de combustão interna turbo híbrido a quatro motores elétricos: o primeiro acoplado ao turbocompressor, o segundo emparelhado diretamente ao motor de combustão interna e ligado à árvore de manivelas, e os outros dois tracionam as rodas dianteiras.

Motor traseiro central com até 11.000 rpm.

Motor traseiro central com até 11.000 rpm.

O motor a gasolina V6 híbrido 1.6 com injeção direta e turboalimentação simples com acionamento elétrico é o mesmo usado nos Fórmula 1 da Mercedes-AMG Petronas. Para alcançar uma rotação mais alta, as molas mecânicas da válvula foram substituídas por molas pneumáticas. Embutido na posição central diante do eixo traseiro, o motor chega facilmente a 11.000 rpm, o que é inédito para um veículo de passeio. No entanto, em prol de uma vida útil mais longa e para permitir o uso de gasolina comercial super plus em vez de combustível de corrida, ele é configurado para operar abaixo do limite de rotações da F1.

Driving Performance do futuro.

Driving Performance do futuro.

Desde o início do automobilismo, levar a tecnologia dos carros de corrida para as ruas sempre foi um sonho dos engenheiros. A Mercedes-AMG agora torna esse sonho realidade em grande estilo.

Vista dianteira do Mercedes-AMG Project ONE.

"Para nós, o automobilismo não é um fim em si mesmo. Sob condições de competição acirrada, nós desenvolvemos tecnologia que vai beneficiar nossos veículos de série no futuro. Usamos a experiência e os resultados bem-sucedidos de quatro campeonatos mundiais de construtores para trazer a tecnologia da Fórmula 1 para as ruas pela primeira vez no Mercedes-AMG Project ONE", diz o Dr. Dieter Zetsche, Presidente da Daimler AG e Diretor da Mercedes-Benz Cars.

Vista traseira e lateral do Mercedes-AMG Project ONE.

O veículo conceito dá uma ideia concreta de inúmeras características do futuro modelo de série. "O hipercarro retrata o projeto mais ambicioso a que nós nos lançamos. Ele assinala mais um ponto alto da estratégia vitoriosa para elevar o Mercedes-AMG a uma marca de veículos esportivos e de alto desempenho. O Project ONE leva as fronteiras do que é tecnicamente viável a um novo patamar e estabelece um benchmark absoluto graças à sua combinação de eficiência e desempenho. Ao mesmo tempo, ele revela como a Driving Performance da AMG será definida no futuro", avalia Tobias Moers, Diretor-Presidente da Mercedes-AMG.

Rotação impressionante no eixo dianteiro.

Rotação impressionante no eixo dianteiro.

Os motores elétricos no eixo dianteiro também são impressionantes, podendo alcançar até 50.000 rpm. A tecnologia em uso atualmente atinge apenas 20.000 rpm.

Vista dianteira e lateral do Mercedes-AMG Project ONE.

O motor de alta rotação também é propulsionado por um turbocompressor de alta tecnologia. As turbinas de exaustão e do compressor, separadas entre si e conectadas por um eixo, estão posicionadas de maneira otimizada para os lados da exaustão e admissão do motor V6. Nesse eixo está localizado um motor elétrico de cerca de 90 kW que, conforme as condições de operação, traciona eletricamente a turbina do compressor a 100.000 rpm, por exemplo, na partida ou após alteração da carga. Na Fórmula 1, essa unidade é tipicamente denominada MGU-H (Motor Generator Unit Heat).

Responde mais rápido que um motor aspirado V8.

Responde mais rápido que um motor aspirado V8.

Principal vantagem: o turbo-lag, isto é, o atraso na reação ao acionamento do
pedal do acelerador devido à inércia do compressor, é
completamente eliminado. O tempo de reação se reduz sensivelmente e fica ainda
mais breve do que o do motor aspirado V8.

Vista do cockpit do Mercedes-AMG Project ONE.
Vista traseira e lateral do Mercedes-AMG Project ONE.

O turbocompressor elétrico tem outra vantagem: ele reutiliza parte da energia excedente dos gases de escape para gerar energia elétrica como se fosse um gerador. Essa eletricidade é usada como propulsão adicional para outro motor ou armazenada para recuperação posterior na bateria de íons de lítio de alta tensão. Esse motor fornece 120 kW, fica posicionado junto ao motor de combustão interna e se conecta por uma engrenagem de dentes retos à árvore de manivelas (MGU-K significa Motor Generator Unit Kinetic). Essa também é uma tecnologia que assegura a mais elevada eficiência e o alto desempenho na Fórmula 1.

Eixo dianteiro tracionado apenas por energia elétrica.

Eixo dianteiro tracionado apenas por energia elétrica.

O rendimento térmico do motor de combustão interna com turbocompressor elétrico (MGU-H) em conexão com o motor elétrico na árvore de manivelas (MGU-K) supera os 40%. Até agora, esse é um valor máximo inigualável para veículos de série. Além disso, há ainda outros dois motores elétricos de 120 kW no eixo dianteiro.

 

Cada um é acoplado às rodas dianteiras por meio de uma transmissão redutora. O eixo dianteiro movido a energia elétrica acelera e freia as rodas separadamente em cada situação. Isso permite distribuir o torque individualmente e melhorar significativamente a dinâmica de condução.

Aceleração impressionante.

Aceleração impressionante.

Na arrancada, o motorista pode recorrer apenas aos motores elétricos, que inicialmente acionam só o eixo dianteiro. O motor elétrico na árvore de manivelas só entra em ação para apoiar o hipercarro em acelerações mais altas.

Vista lateral do Mercedes-AMG Project ONE.

Caso o motorista pise fundo no pedal do acelerador e exija mais potência, o motor V6 também entra em operação. Com rotações em alta, o trem de força desenvolve toda a sua potência. O veículo alcança uma aceleração impressionante com a função Race Start. O "Concept EQ" vai de 0 a 200 km/h em menos de seis segundos. Quando o motorista tira o pé do acelerador, o sistema alterna para a propulsão elétrica do eixo dianteiro e recupera até 80% da energia armazenada na bateria ao frear em condições normais de direção.

Caixa de mudanças automatizada de oito marchas.

Vista do interior do Mercedes-AMG Project ONE.
Vista traseira do Mercedes-AMG Project ONE.

Caixa de mudanças automatizada de oito marchas.

A força é transmitida para as rodas traseiras por uma caixa de mudanças hidráulica de oito marchas desenvolvida exclusivamente para o Mercedes-AMG Project ONE. A troca de marchas pode ser automática ou manual, por meio da borboleta localizada no volante. Na desaceleração, entra em cena um sistema avançado de freios de carbono cerâmica de alto desempenho com peso otimizado. O baixo peso reduz a massa não-suspensa e aumenta a dinâmica de condução e a agilidade.

Suspensão push-rod inovadora.

Suspensão push-rod inovadora.

Um eixo multilink equipa tanto a dianteira quanto a traseira do veículo. A suspensão regulável por rosca oferece vários recursos especiais. Entre eles, os dois amortecedores push-rod, posicionados transversalmente ao sentido do deslocamento. O arranjo inovador da unidade de mola e amortecedor dispensa o tubo estabilizador transversal convencional. Essa solução elimina o balanço sem prejudicar o conforto, mesmo em mudanças de direção bruscas. O ajuste geral da mola e dos amortecedores foi projetado para um comportamento de condução perfeitamente balanceado, facilmente controlável e, sobretudo, esportivo. A tração integral e a vetorização do torque também contribuem para isso.

Muito mais que um motor de corrida liberado para as ruas.

Muito mais que um motor de corrida liberado para as ruas.

O Mercedes-AMG Project ONE é muito mais que um motor de corrida liberado para as ruas que traz para o dia a dia a moderna tecnologia híbrida da Fórmula 1 aliada ao melhor desempenho das pistas com praticidade. Ele também permite apurar informações abrangentes sobre a tecnologia de propulsão híbrida plug-in orientada ao desempenho, sobre layouts avançados de suspensão e sobre o sistema eletrônico avançado que contribuirão para aperfeiçoar os futuros veículos de série da AMG.

Vista lateral do Mercedes-AMG Project ONE com portas asa de gaivota abertas.